Novo estudo revela aspectos de pacientes imunossuprimidos

Foi publicada na edição de 25 de setembro da revista científica Intensive Care Medicine, o estudo intitulado “Acute hypoxemic respiratory failure in immunocompromised patients: the Efraim multinational prospective cohort study”, com a participação dos pesquisadores do IDOR Dr. Marcio Soares e Dr. Jorge Salluh.

Clique aqui para acessar a publicação. 

O objetivo do estudo foi investigar se o manejo inicial (estratégias de oxigenação e diagnósticas) afetaria a proporção de pacientes necessitando intubação, ventilação mecânica, além da mortalidade hospitalar. Para isso, 1611 pacientes graves com insuficiência respiratória aguda hipoxêmica, oriundos de 68 unidades de terapia intensiva espalhadas em 16 países, foram incluídos no estudo.

Como resultado, os pesquisadores identificaram que HFNC (high-flow nasal cannula) impactou a taxa de intubação, mas não afetou a mortalidade hospitalar. Já o uso de NIV (non-invasive ventilation) não influenciou os desfechos observados.

Além disso, a necessidade por uso de intubação foi associado à mortalidade, especialmente nos casos de NIV ou insuficiência na HFNC. Ainda, a causa de insuficiência respiratória grave impactou as taxas de ventilação mecânica invasiva e mortalidade, principalmente quando a etiologia da insuficiência respiratória aguda era desconhecida.

Para o Dr. Marcio Soares, pesquisador do IDOR e coautor do estudo, “os resultados mostram que além de escolher a abordagem apropriada de oxigenação do paciente, os médicos precisam se capacitar mais para identificar a etiologia da insuficiência respiratória aguda, já que esse parece ser um fator chave para o desfecho do paciente”.

Mais sobre o Efraim:

Efraim foi um estudo multinacional, prospectivo observacional realizado pelo grupo de estudo Nine-I (cuidado para pacientes críticos imunossuprimidos), do qual os pesquisadores do IDOR, Dr. Marcio Soares e Dr. Jorge Salluh fizeram parte. Esse grupo inclui médico intensivistas de 16 países, com extensa experiência no manejo de vários tipos de pacientes imunossuprimidos.