Mergulho no mundo da inovação

Durante os dois dias de evento de lançamento do Open D’Or Healthcare Innovation Hub, plataforma de inovação em saúde do IDOR e da Rede D’Or São Luiz, jovens empreendedores conheceram o novo espaço e interagiram com investidores e gestores de saúde em busca de novas soluções na área.

A inovação brasileira na área da saúde ganhou um novo parceiro: foi inaugurado, no Rio de Janeiro, o Open D’Or Healthcare Innovation Hub,iniciativa do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino e da Rede D’Or São Luiz que busca tornar reais ideias inovadoras em saúde. No evento de lançamento, que aconteceu nos dias 13 e 14 de setembro em sua sede, no Rio de Janeiro, empreendedores brasileiros e estrangeiros se reuniram para discutir o cenário atual de inovação na área da saúde e conhecer as propostas da iniciativa.

Momento de networking durante o evento, em que empreendedores se conectaram a investidores e gestores em saúde.

“Precisamos usar a força dos dados para encontrar soluções inteligentes para novas curas e descobertas, e novas maneiras de pensar”, destacou Albert Chan, diretor de experiência digital do paciente no Sutter Health, uma das maiores redes de hospitais dos Estados Unidos, durante a abertura do evento. Uma das principais preocupações do especialista é o alto custo dos serviços em saúde. Nos EUA, uma família com quatro integrantes paga por serviços médicos,em média, mais de 28 mil dólares por ano.

No Brasil, o cenário não é muito diferente: por aqui, gasta-se cerca de 10% de toda a renda familiar com esta finalidade. Para Chan, é preciso ter criatividade para mudar este cenário e tornar o sistema de saúde mais acessível. De acordo com o especialista, essa mudança exige transformações profundas no modelo de negócio das grandes prestadoras de serviços médicos. Chan,que é um parceiro internacional do Open D’Or, falou ainda sobre a transformação digital em saúde que vem implementando em sua empresa.

 

Caminhos e descaminhos doempreendedorismo

Um assunto recorrente ao longo das discussões do evento de inovação em saúde foi a presença cada vez mais marcante das novas tecnologias nos diferentes setores de atividade econômica. De acordo com Eugênio Pimenta, diretor de inovação da Cisco, empresa estadunidense de soluções digitais, a hiperconectividade, a alta velocidade e o baixo custo da inovação abriram muitas portas para iniciativas nesse sentido. “Não há um só segmento eu não tenha sido impactado por esse novo cenário: da construção civil à saúde”, garante. “As tecnologias permitiram a criação de novos modelos de negócios”. Pimenta destacou ainda, que a presença de startups é um importante fator para o desenvolvimento digital dos países, ainda incipiente no Brasil.

Os percalços da vida de empreendedor também foram tema de bate-papo. No Vale do Silício, nos Estados Unidos, conhecido como o lar da inovação mundial, estima-se que cerca de 90% das novas empresas acabem terminando em fracasso. Porém, em vez de deixarem uma má impressão, neste negócio as falhas são muito valorizadas. “Quando converso com empreendedores, meu interesse não se restringe a conhecer seu histórico de sucesso, mas também seu passado de frustrações. O aprendizado gerado por um negócio fracassado vale muito”, enfatizou Mar Perez, diretora da Incube Ventures, empresa de investimento em startups.

O evento reuniu cerca de 100 pessoas, sobretudo empreendedores que buscam soluções digitais em saúde. Uma das participantes foi Giselle Felix, fundadora da Healthfy, que publicou em rede social que, para ela, uma das partes mais memoráveis do evento foi a fala de Romeu Cortes Domingues, diretor executivo da Diagnósticos da America S/A (Dasa). "Ouvir do CEO e board da Dasa que concorrer é correr junto", escreveu, "essa foi uma das frases mais marcantes, congruente com toda a programação".