Instituto D’Or chega a Salvador

Recém-incorporado à Rede D’Or São Luiz, Hospital São Rafael traz expertise em pesquisa nas áreas de medicina intensiva, cardiologia, infectologia, neurologia, gastro-hepatologia, medicina nuclear, biotecnologia e terapia celular, entre outras.

Depois de abrir um espaço em São Paulo, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) marca presença em mais uma capital brasileira: Salvador. Com a incorporação do Hospital São Rafael (HSR) à Rede D’Or São Luiz, as áreas de pesquisa, ensino e inovação da unidade se somam às iniciativas do instituto. Entre os temas pesquisados pela equipe do hospital estão terapia celular, sepse, biomarcadores oncológicos, insuficiência cardíaca, resistência microbiana, transplantes hepáticos.

Luis Correia

“Nossa pesquisa surge nos corredores do Hospital, à beira dos leitos, nas visitas de enfermaria. Surge da curiosidade contida na pergunta dos estudantes, dos desafios assistenciais que aparecem”, conta o cardiologista Luís Correia, coordenador de pesquisa do Hospital São Rafael e professor da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. Assim, médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde do hospital são incentivados a planejar e executar ações de pesquisa voltadas com potencial impacto na rotina de assistência aos pacientes.

O HSR conta com um Centro de Pesquisa que oferece apoio logístico e orientação metodológica aos profissionais. “Estimulamos ideias relevantes, impactantes, factíveis e baratas”, destaca Correia, citando como exemplo os estudos observacionais. Além de projetos realizados por iniciativa da equipe do hospital, o São Rafael recebe ensaios clínicos patrocinados pela indústria farmacêutica, em especial nas áreas de oncologia, hematologia e gastro-hepatologia.

Além da infraestrutura hospitalar, o HSR conta com um laboratório exclusivamente dedicado à pesquisa – o Centro de Biotecnologia e Terapia Celular, coordenado por Bruno Solano – e parceria com grupos nacionais e internacionais. Na Bahia, os principais centros colaboradores são a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, por meio de seus programas de mestrado e doutorado.

Em 2018, a equipe de pesquisadores do HSR publicou 80 artigos em periódicos indexados, repetindo o número obtido em 2017. Para o futuro, Correia espera que a união de esforços com o IDOR aumente ainda mais o potencial de produção científica do HSR. “Já estamos sentindo o benefício dessa união”, comemora. “O maior valor de nossa incorporação é a perspectiva do surgimento de pesquisas em rede: é sem precedentes no Brasil uma rede de 40 hospitais de qualidade. Isso nos dá oportunidade para criação protocolos de pesquisa em rede e inclusão de grande número de pacientes”.