Formação médica com alta tecnologia

Cada vez mais comum na medicina, uso de robôs é incorporado pelo IDOR e pela Rede D’Or São Luiz aos seus programas de residência médica. Três modalidades estão com inscrições abertas.

Robôs que interagem com humanos, sentem emoções e até formam famílias. Essas ideias ainda fazem parte do mundo da fantasia, mas, pelo menos na medicina, os robôs já são realidade. Esses equipamentos estão sendo cada vez mais usados em cirurgias nos hospitais mundo afora, inclusive no Brasil, e trazem diversos benefícios para médicos e pacientes.

A utilização de robôs em cirurgias começou a ser explorada ainda na década de 1980, com a realização de biópsias cerebrais de alta precisão. Desde então, diferentes tecnologias foram incorporadas aos equipamentos, e novos procedimentos cirúrgicos começaram a fazer uso dos “robôs cirurgiões”. Atualmente, sistemas que fazem uso de robôs já estão aprovados para a realização de cirurgias em diversas áreas da medicina, como cardiologia, urologia e aparelho digestivo.

Para os profissionais, os robôs oferecem maior precisão e coordenação dos movimentos, melhor visualização do local da cirurgia e melhor conforto durante o procedimento. Graças a eles, cirurgias consideradas tecnicamente difíceis ou inviáveis já podem ser realizadas com grande sucesso. Por exemplo, um estudo recente analisou evidências científicas da eficiência dos robôs em cirurgias de pâncreas. Por um lado, as cirurgias com ajuda de robôs tenderam a ser mais longas, por outro, reduziram a perda de sangue do paciente, preservaram maior parte de tecido saudável e diminuíram o tempo de internação hospitalar.

Não por acaso, portanto, o número de robôs nas salas de cirurgia vem crescendo exponencialmente. Apenas os robôs da Vinci, famosos por sua precisão – são capazes de retirar a casca de uma uva com delicadeza –, foram responsáveis por cerca de 900 mil cirurgias em todo o mundo. Já os pacientes, cada vez mais informados sobre novas tecnologias na medicina, solicitam o uso de robôs em suas próprias cirurgias.

Residência médica em cirurgia

De olho na crescente demanda e visando oferecer a melhor formação profissional para cirurgiões, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) abre chamada para seus programas de residência médica na área, em que jovens médicos poderão ser treinados com o estado da arte em cirurgia robótica em diferentes hospitais da Rede D’Or São Luiz.

Atualmente, o grupo é a instituição médica brasileira que possui o maior número de robôs para esta finalidade: seis, no total, que são utilizados em centenas de cirurgias todos os anos, nas áreas de ginecologia, urologia, bariátrica, oncologia e torácica, entre outras.

Atualmente, três programas de residência médica do IDOR contam com a tecnologia: Urologia, Cirurgia Básica e Cirurgia Torácica. Neles, a formação do residente é voltada para o diagnóstico e o tratamento das principais patologias de cada área. O foco na discussão de casos e estudos científicos e os convênios internacionais permitem ao profissional desenvolver uma visão ampla da medicina e obter experiência em tecnologias avançadas em cirurgia.

Saiba mais sobre os cursos:

Residência Médica em Urologia (pré-requisito: residência em Cirurgia Geral)

Residência Médica em Cirurgia Básica

Residência Médica em Cirurgia Torácica (pré-requisito: residência em Cirurgia Geral)